Seja voce tambem um campeao e siga a UEFA Champions League atraves das transmissoes ao vivo.

Call : 01632960548

Probabilidades no Boxe

Probabilidades no Boxe

Após digerir toda informação que puder sobre Boxe, precisará traduzir tudo isso em probabilidades. Como em qualquer outro esporte que você esteja interessado em apostar, você deveria fazer a cotação das Odds por conta própria. Isso não é nada fácil, o que provavelmente explica o porque tão poucos apostadores estão preparados para apostar em nada que não sejam as grandes lutas onde podem ter como referência as linhas de dinheiro de Las Vegas.

Nas próximas linhas você conhecer as três considerações principais que lhe darão uma base um pouco mais consistente e irão lhe ajudar a obter vantagem quando for fazer apostas em Boxe.

Os agenciadores não se deixam levar campanhas de publicidade e sabem muito bem quem é a maioria de seus clientes. Se algum lutador  está em evidência simplesmente porque tem bons empresários, uma boa estratégia de marketing e provavelmente terá um sucesso passageiro. Às vezes por ter mais carisma junto à torcida, ele é colocado pra lutar onde rola mais dinheiro a curto prazo.

Um dos melhores exemplos de um pugilista super-promovido pela mídia é Prince Naseem Hamed, campeão mundial em três categorias de peso, que ficou famoso fora dos ringues após derrotar seus primeiros oponentes. Dos 37 adversários que Hamed enfrentou, apenas cinco pisaram em um ringue com invencibilidade a ser quebrada. Um deles estava em começo de carreira e não servia pra nada; os outros quatro nunca haviam lutado em nível mundial antes.

Um ano antes, Barrera havia perdido uma decisão contra Erik Morales, outro boxeador de classe mundial, em um resultado que surpreendeu os especialistas. Quando as primeiras Odds para a luta Hamed-Barrera foram feitas, Hamed tinha 2-9 e Barrera 3-1. Se você tivesse assistido os vídeos de Barrera-Morales e qualquer uma das mais recentes 35 lutas invictas de Hamed sem saber da reputação de seus adversários, poderia desafiar qualquer um que Hamed era o favorito.

A propaganda em torno dele lhe deu a impressão que ele deveria ser melhor boxeador do que realmente era e os apostadores, principalmente os mais patriotas, tendem a pensar assim na maioria das vezes. Isso pode lhe favorecer de várias formas. Se o lutador vem enfrentando um monte de ‘peso morto’, possivelmente poderá ter um bom índice de nocautes e a potência de seus golpes será superestimada.

Hamed ainda nos fornece mais um exemplo flagrante. Aquele que nocauteia sempre impressiona e Prince tem um monte de nocautes em seu currículo. Mas quando um boxeador sobe de categoria, a tendência é que ele tenha suportar mais os golpes do adversário, mesmo que ele não seja bom o suficiente para vencer.

Nesses casos é bom considerar apostar que um favorito que seja muito caro vença por pontos. Há pouquíssimos pugilistas com alto poder de explosão em seus golpes, embora seus números possam mostrar o contrário. Das últimas oito lutas de Hamed, duas foram contra boxeadores que não foram permitidos de continuar no ringue, uma foi até o 11º assalto e as outras cinco foram decididas nos pontos. Muito pra quem tem um poder tão explosivo.

Agora você pode acessar um dos sites de apostas, por exemplo o Fantastic Win, e tirar vantagem contra que seja influenciado pela propaganda. Ninguém está imune a esse tipo de influência, inclusive os comentaristas de TV. Em setembro de 2003, Shane Mosley lutou contra Oscar De La Hoya pela segunda vez em um duela ansiosamente aguardado no MGM Grand em Las Vegas.

A Sky cobriu a luta e o comentarista Ian Darke, claramente esperando se deslumbrar com a destreza do ‘Garoto de Ouro’ De La Hoya, deu um dos comentários mais tendenciosos já escutados, repetidamente afirmando como De La Hoya iria ‘fazer número com Mosley’.

É claro que quase todos os espectadores da Sky concordaram, a julgar pelo alvoroço, mas os jurados ao lado do ringue aquela noite acharam que Mosley foi o vencedor legítimo.

Pode ter sido uma decisão controversa e jamais unânime, ainda que alguns sites de apostas refletissem a opinião de Darke mais do que realmente estava acontecendo.

Ian Darke, que geralmente é excelente, está longe de ser o único comentarista influenciado pela propaganda (em 2004, Eammon Dunphy elogiou o brilhante trabalho defensivo de Audley Harrison contra Julius Francis!), mas foi um exemplo sensacional.

Um dos momentos mais importantes para os apostadores é a pesagem, porque ela pode dizer muito sobre o quanto um boxeador se preparou pra luta. No início de 2004, a emissora americana ESPN divulgou os resultados de um estudo chamado ‘Degree of Difficulty: Sports Rankings’ (Grau de Dificuldade: Rankings Esportivos, em tradução livre).

Um painel de oito membros, composto por acadêmicos que estudam a ciência dos músculos e movimento, membros do Comitê Olímpico dos EUA e jornalistas, convocados com o objetivo de encontrar o esporte que 'exige mais dos atletas'.

60 esportes foram julgados em dez categorias (agilidade, atitude analítica, durabilidade, resistência, flexibilidade, coordenação motora e visual, controle dos nervos, potência, velocidade e força) com notas de 1 a 10.

O Boxe foi colocado no top da lista com nota geral de 72.37 e foi o único esporte a pontuar 8.00 ou acima em cinco categorias. Na verdade, nenhum outro conseguiu receber nota 8.00 em quatro categorias. Os dez melhores foram:

1- Boxe: (72.37)

2- Hóquei no gelo (71.75)

3- Futebol americano (68.37)

4- Basquete (67.87)

5- Wrestling / Luta greco-romana (63.50)

6- Artes marciais (63.37)

7- Tênis (62.75)

8- Ginástica (62.50)

9- Beisebol (62.25)

10- Futebol (61.50)

Se o boxeador tiver problemas pra chegar ao seu peso ideal, é preciso soar o alarme de alerta. Além de ter que enfrentar a pressão psicológica, esse período pré-pesagem exige muito da parte física dos lutadores que precisam passar por sessões estafantes visando eliminar o excesso de líquido no corpo. Se em dez semanas de treinamento e regime ele não conseguir o peso pra se qualificar pra luta, significa que alguma coisa está errada.

A variação de peso entre os pesos-pesados também precisa ser monitorada. Um dos exemplos mais evidentes foi quando James Buster Douglas, que pesava menos que 105 kg (232 libras) quando venceu Mike Tyson em Tóquio em 1990, mas estava bem mais pesado quando perdeu pra Evander Holyfield oito meses depois. Após sua derrota no terceiro round contra Holyfield, Douglas se afundou em uma dieta de hambúrgueres, engordando muito e chegando a pesar mais de 180 kg (400 libras) antes, só voltando a lutar em 1996, após quase morrer devido a um coma diabético.

Os agenciadores também irão estar atentos quando a diferença é muito óbvia, mas o bom apostador saberá diferenciar cada caso apenas olhando os últimos registros de pesagens dos lutadores. Por exemplo, Lennox Lewis só pesou acima de 113 kg (250 libras) duas vezes em sua carreira. Na mais estúpida delas, em abril de 2001, ele chegou pesando quase 115 kg (253 libras) pra enfrentar Hasim Rahman na África do Sul e foi nocauteado no quinto assalto. Quase sete meses depois, pesando cerca de três quilos a menos (6 libras), se redimiu na revanche contra Rahman em Las Vegas. Após vencer uma luta épica contra Mike Tyson em junho de 2002, Lewis encerrou a carreira um ano depois quando o ucraniano Vitali Klitschsko foi obrigado a abandonar a luta no sexto round devido a um corte acima do olho esquerdo. A essa altura ele pesava mais de 116 kg (256,5 libras).

Alguns quilos podem fazer toda a diferença em um esporte que exige tanto do atleta e você tem que ter cautela quando um peso-pesado chega a alguma luta apresentando algo diferente. Um problema no coração foi o motivo para Evander Holyfield perder pra Riddick Bowe em 1992, mas poderia ter sido muito bem por excesso de treinamento, o chamado over-training. Holyfield cravou pouco mais de 93 kg (206 libras) para aquela luta, seu menor peso em quatro anos, e nunca mais chegou perto dessa marca novamente.

Essa análise das estatísticas é um passo importantíssimo quando for apostar, seja numa luta de boxe ou apostando em um Jogo ao vivo.

Hoje no Brasil, há muitas pessoas que estão optando por assistir e apostar em MMA/UFC em vez de boxe. Isso tem gerado uma certa rivalidade sadia entre os fãs de lutas, nesse compartivo você confere alguns números interessantes entre as duas modalidades.

Se esta emocionante agora que esta na fase de grupos, imagina quando chegar no mata-mata.